Revolução Espiritual no Mercado de Trabalho: Uma nova ética frente à crise de virtudes do mundo corporativo | Espiritualidade nos Negócios

Revolução Espiritual no Mercado de Trabalho: Uma nova ética frente à crise de virtudes do mundo corporativo

Os avanços tecnológicos, todo o conhecimento e bens materiais resultantes do progresso científico levaram a humanidade a patamares jamais sonhados em sua jornada evolutiva. No entanto, não conseguiram reduzir as desigualdades sociais, erradicar a pobreza e trazer felicidade mesmo às pessoas materialmente privilegiadas. O capitalismo, assim como outros sistemas políticos e econômicos criados pelo homem ao longo da história, falharam e tornaram a sociedade doente. Contaminaram as relações humanas, eliminaram a criatividade e criaram pessoas tóxicas e negativas, que hoje sofrem vítimas de doenças modernas como estresse, câncer, angústia e depressão. As repetidas crises que vivenciamos ciclicamente, como o estouro da bolha hipotecária em 2008, revelaram-se sintomas desta doença, que tem origem na ganância, no egocentrismo e nos comportamentos equivocados que norteiam nossas condutas pessoais e profissionais.

Este trabalho tem por objetivo apresentar ideias e apontar caminhos que possam reverter este cenário negativo ao qual permanecemos aprisionados. Resultado de um processo que teve início com a inteligência emocional, a espiritualidade (não confunda com religião ou esoterismo) constitui um modelo de vida e gestão virtuosa que, aplicada à administração das empresas, permite o resgate de valores humanos e de princípios éticos que foram deixados para trás, contribuindo assim para um ambiente de trabalho produtivo e saudável, com foco na inovação, criatividade e sustentabilidade.

A espiritualidade empregada como conceito de gestão surge em um momento oportuno, em consonância com um movimento global que atribui à felicidade um peso cada vez mais importante nas escolhas profissionais e pessoais que fazemos diariamente. Trata-se de uma nova ordem de valores. Pela primeira vez, o homem enxerga no trabalho uma ponte para sua realização pessoal, algo que traz significado a sua existência e o conecta a um propósito maior, do qual todos nós fazemos parte.

Conceitos como sustentabilidade, responsabilidade social, interdependência, karma, emoções aflitivas, liderança espiritualizada e inteligência espiritual, apresentados neste trabalho, são fundamentais para que as organizações despertem para um novo papel na sociedade. Uma realidade onde o lucro não deve ser mais um fim, mas um meio para a promoção de um bem coletivo. Esta visão holística sobre o ambiente corporativo é necessária para que as empresas abracem novas responsabilidades e assumam comportamentos positivos e conscientes, que serão determinantes à construção de um mundo melhor para as futuras gerações.

Autor: Fernando Ferragino

 

Compartilhe

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*