Eu Maior – uma jornada em busca do autoconhecimento | Espiritualidade nos Negócios

Eu Maior – uma jornada em busca do autoconhecimento

Às vezes, o universo nos presenteia com momentos inesperados que vêm de encontro aos nossos anseios mais íntimos e nos preenchem de paz e alegria. O filme “Eu Maior” é um desses raros momentos. Por meio de imagens poéticas e depoimentos de 30 personalidades (líderes espirituais, artistas, esportistas e intelectuais), o filme faz um passeio sobre nossa eterna jornada de autoconhecimento e busca da felicidade.

Por que existe alguma coisa e não nada?
Deus existe? O que é? Onde está?
Qual é o significado da vida?
Pra que tudo isto?
O que é e como funciona o ser humano?
O que estou fazendo aqui?
Pra onde vou?
Meu propósito externo está em sintonia com meu propósito interno?
Quem somos nós?

Estas são algumas das questões que norteiam as entrevistas feitas com Professor Hermógenes, Prem Baba, Monja Coen, Marina Silva, Leonardo Boff, Rubem Alves, Mario Sergio Cortella, Marcelo Yuka, Letícia Sabatella, Carlos Burle, Marcelo Gleiser, Richard Simonetti, Flávio Gikovate, Waldemar Niclevicz, Laís Bodanzky, entre outros expoentes de diversos segmentos da sociedade que participam da iniciativa… um time de peso que generosamente compartilha conosco suas reflexões sobre a vida, Deus e nosso papel no mundo.

Não espere respostas mágicas e receitas de bolo, até porque isto não existe. Cada depoimento abre novas janelas de possibilidades para mundos e caminhos diferentes, que, embora trilhados de maneira individual por cada um dos personagens apresentados, fazem parte de uma marcha coletiva rumo à evolução contínua da qual todos nós fazemos parte. Embora somente a vivência de cada um de nós tenha resultado direto no nosso progresso espiritual, as pílulas de sabedoria compartilhadas em “Eu Maior” trazem insights poderosos que ajudam a despertar e ampliar o estado de consciência para algo maior e transcendental… nosso Eu maior.

Dirigido e produzido pelos irmãos Fernando e Paulo Schultz, “Eu Maior” é uma iniciativa da Associação Do Bem Desenvolvimento Humano Integral. O projeto foi viabilizado por meio de crowdfunding com incentivo fiscal, ou seja, mediante a doação de 600 patrocinadores pessoa-física que juntos arrecadaram R$ 208,6 mil. O filme está sendo comercializado em DVD e Blu-Ray, mas também pode ser visto gratuitamente no Youtube. Você pode assistir ao filme clicando no link abaixo ou, se preferir, por meio da página oficial: www.eumaior.com.br.

Alguns depoimentos mágicos compartilhados pelas personalidades entrevistadas em “Eu Maior”:

Marcelo Gleiser – cientista
“Quanto a gente pode conhecer sobre o mundo? Mesmo que o conhecimento humano aumente com o tempo, nunca poderemos conhecer tudo sobre o mundo. Temos que viver com essa sabedoria, de que nunca teremos uma visão completa do mundo. O que não nos torna menos humanos. Na verdade, nos torna mais humanos e menos deuses.”

Carlos Burle – Surfista profissional
“A prática da onda gigante tem a ver com a maneira como eu vejo a vida. Você se expõe. De uma maneira louca você morre. De uma maneira preparada você aprende. Levei toda minha vida pra me entender e ainda continuo procurando dicas pra chegar num lugar onde ainda não estou hoje. A busca nunca para. A busca é infinita.”

Paulo de Tarso Lima – médico
“Tem um ditado que está comigo há muito tempo que diz: ‘tudo um dia será nada e este nada será o tudo que tanto procuramos encontrar’… O sentido da vida é a expressão da sua integralidade e tentar viver isso seja lá do tamanho que for.”

Waldemar Niclevicz – alpinista
“Eu precisei ir até a montanha pra poder me encontrar, pra poder me ver diante de um espelho. Uma das maiores recompensas é aquela vista maravilhosa que me traz um momento de contemplação. É naquele momento que eu me encontro, que eu faço minha comunhão com Deus.”

Leonardo Boff – teólogo
“O ser humano é um projeto infinito. É um nó de relações voltado em todas as direções, para dentro de si, para o outro, para a natureza, para o universo, para o absolutamente transcendente que é Deus. E ele se realiza à medida que ativa estas relações. Por isto, quanto mais se relaciona, mais se enriquece e descobre possibilidades dentro dele. Não é um sistema fechado. É um sistema aberto. Sempre estamos buscando. Encontramos espelhos de nós mesmos em todas as partes e não nos identificamos com nenhum deles.”

Roberto Crema – psicólogo
“A tristeza é uma emoção natural e importante porque ela nos ajuda a vivenciar o luto, a deixar morrer, pra poder renascer. O problema é que todo mundo que renascer, mas ninguém quer morrer.”

Marina Silva – líder política
“Uma qualidade que a gente deve cultivar é saber-me frágil, saber-me incompleto, saber-me faltosa, dependente desse outro que me sustenta e me completa, que me acalma e me inquieta… Nós somos únicos, ainda que iguais e a beleza da condição humana é essa possibilidade de você ser completamente original e completamente igual. É um paradoxo.”

Mario Sergio Cortella – filósofo
“Não me envergonho dos homens que eu fui. Mas gosto de lembrar que já tive muitas vidas que foram sendo feitas e refeitas e reinventadas. Ao contrário do que muita gente imagina, a gente não nasce pronto e vai se gastando. A gente nasce não pronto e vai se fazendo.”

Kaká Werá – educador
“A felicidade não exige dinheiro, não exige status para se manifestar, não exige oferendas, não exige um curso de MBA, não exige nenhuma formação. Só sintonia. Por isso, minha resposta é óbvia. Felicidade é um estado de espírito.”

Sônia Café – escritora
“Nosso estado natural é um estado de felicidade. No entanto, a realidade, como nós a percebemos, cria uma série de fenômenos que nos impressionam mais do que a felicidade. A felicidade nunca deixa de se oferecer a si mesma para nós. Se tirássemos os véus dos fenômenos que nos circundam, viveríamos num campo de felicidade.”

Monja Coen – líder espiritual
“As emoções em nós são muito rápidas, são instantâneas. O resto é memória. E a gente fica chamando essa memória. E nós adoramos chamar memória, principalmente de coisas desagradáveis. É preciso abrir mão. Quando a gente abre as mãos, nelas cabe todo o universo. Quando seguramos uma coisa, nós nos limitamos. E às vezes nós seguramos a dor e o sofrimento.”

Marcelo Yuka – músico
“A gente tem que pensar no caminho. Eu comecei a pensar que é possível ser feliz na cadeira de rodas quando pensei não em chegar a ser feliz, mas quando vi que ser feliz é não abrir mão do caminho até lá, até a felicidade. Se vou chegar, não sei, mas eu finalmente tenho o meu caminho. E o meu caminho é melhor do que ficar parado.”

Ricardo Lindemann – Teósofo
“Qual é a minha essência? Quem sou eu? Essa é a grande pergunta. Duvido que haja outra maior, porque todas as outras giram em torno dela. Suponhamos que fosse quem é Deus. Mas no fim, quem sabe as duas são a mesma? Quem sabe a essência do ser é Deus?”

Compartilhe

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*