Hora do Planeta 2014: no dia 29/03, às 20h30, apague as luzes e use seu poder para salvar o planeta! | Espiritualidade nos Negócios

Hora do Planeta 2014: no dia 29/03, às 20h30, apague as luzes e use seu poder para salvar o planeta!

Neste sábado (29 de março), apague as luzes da sua casa às 20h30, durante 60 minutos, e mostre que você faz parte de uma comunidade global de pessoas empenhadas em melhorar o meio ambiente, na luta contra o aquecimento global. Ao apagar as luzes, você estará fazendo parte da Hora do Planeta 2014, um movimento global que reúne comunidades de todo o mundo que celebram um compromisso com o planeta, desligando luzes por uma hora designada, com o intuito de proteger o planeta.

Conhecida globalmente como Earth Hour, a Hora do Planeta é um ato simbólico criado pela ONG ambientalista WWF. Durante a Hora do Planeta, pessoas, empresas, comunidades e governo são convidados a apagar suas luzes pelo período de uma hora para mostrar seu apoio ao combate ao aquecimento global. O objetivo é incentivar uma comunidade global interconectada a compartilhar as oportunidades e os desafios da criação de um mundo sustentável.

hora-do-planeta

A iniciativa começou em Sydney, na Austrália, em 2007, quando 2 milhões de pessoas tomaram posição contra as mudanças climáticas e desligaram as luzes em suas casas e empresas. Na última edição centenas de milhões de pessoas em 153 países de todos os continentes desligaram os interruptores. A Hora do Planeta 2013 ocorreu em mais de 7.001 cidades e a campanha experimentou seu maior crescimento desde 2009. O Brasil teve a adesão de 113 cidades, sendo 22 capitais, além de mais de 480 empresas e organizações.

Para a edição deste ano, 122 cidades brasileiras já confirmaram participação na campanha e apagarão as luzes de seus principais monumentos na hora programada. A campanha deste ano tem como embaixador global o Homem-Aranha. No Brasil, o personagem tem como embaixadores oficiais os atores Reynaldo Gianecchini e Tainá Müller.

Veja os vídeos da campanha e participe!

 

 

 

 

BH é a capital brasileira da Hora do Planeta
A Hora do Planeta promove todos os anos o Desafio das Cidades da Hora do Planeta (Earth Hour City Challenge), ação que busca identificar e destacar exemplos positivos e obter apoio das cidades na transição em direção a um futuro de clima mais ameno para o planeta. O objetivo é que as participantes pensem em soluções rumo a um futuro sustentável com a força da energia renovável, uma demanda urgente frente ao fato de que metade da população mundial vive hoje nas cidades, onde são geradas mais de 70% das emissões de dióxido de carbono do mundo. A proposta do Desafio é valorizar as cidades de todo o mundo que estão dando exemplos e se engajando na criação de modelos verdes e sustentáveis, inspirando outras a fazerem o mesmo.

Este ano, Belo Horizonte foi eleita por um júri internacional a Capital Brasileira da Hora do Planeta. A capital de Minas Gerais concorreu em âmbito nacional com Rio de Janeiro e São Paulo, os outros dois finalistas do Brasil. De acordo com o parecer técnico do júri internacional, Belo Horizonte “apresenta uma estratégia de baixo carbono integrada, guiada por uma visão forte e construída através de ações concretas”.

Entre os exemplos citados para a vitória da capital mineira estão a Usina Solar Fotovoltaica instalada na cobertura do Mineirão, um dos estádios da Copa do Mundo Fifa 2014, e o fato da energia solar térmica ter se desenvolvido de forma adequada na cidade. Belo Horizonte é considerada referência na aplicação do coletor solar para aquecimento de água e em números de edificações multifamiliares existentes com a aplicação da tecnologia – são, aproximadamente, 3 mil edifícios residenciais. Outro ponto destacado é o Programa de Eficiência Energética da CEMIG (Companhia Energética de Minas Gerais), no qual uma parte do lucro da empresa é destinada para pesquisa e desenvolvimento. Esta foi a primeira vez que o Brasil participou da disputa.

Veja o vídeo do Desafio

 

 

Compartilhe

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*