Expressar sua gratidão te torna mais feliz. Assista ao experimento (este você pode reproduzir em casa, sem contraindicações) | Espiritualidade nos Negócios

Expressar sua gratidão te torna mais feliz. Assista ao experimento (este você pode reproduzir em casa, sem contraindicações)

O que te faz feliz? Viajar? Ir pra balada? Sair com amigos? Uma comida saborosa? Ganhar dinheiro? Um estudo conduzido por psicólogos da Universidade da Pensilvânia (Positive Psychology Progress: Empirical Validation of Interventions) provou cientificamente que um dos principais fatores de felicidade na vida das pessoas está relacionada à quanta gratidão demonstramos no dia a dia.

Pra provar na prática se a teoria funciona mesmo, o programa The Science of Happiness, produzido pela Soulpancake, organizou testes com voluntários a fim de avaliar o nível de felicidade dos participantes.

Primeiro eles pediram aos voluntários para fechar os olhos e pensar em alguém que teve grande influência na vida deles, que tenha feito alguma coisa muito importante para eles. Depois pediram que escrevessem num papel porque essa pessoa era tão importante para eles.
Quando os voluntários pensaram que o teste havia acabado, os produtores pediram aos voluntários que ligassem para a pessoa que escolheram e lessem o que escreveram… Veja o resultado:

 

 

Pra assistir com legendas em português, veja aqui

A importância da gentileza
Se os momentos de gratidão nos preenchem com alegria, na outra ponta, as oportunidades que desperdiçamos de fazer algo a mais por uma pessoa, de sermos gentis e fazermos a diferença, estão entre os principais remorsos que carregamos durante a vida, não importa quanto tempo tenha passado.

É o que mostra o vídeo “The Importance of Kindness” (A importância da gentileza), uma animação adaptada de um discurso proferido pelo escritor e professor George Saunders, na Universidade de Syracuse, em maio de 2013.

No discurso, Saunders relembra a época em que estava na 7ª série e uma menina havia acabado de se mudar para a sua vizinhança. Tímida, baixinha, com óculos em formato de gatinho que, na época, somente as idosas usavam, a garota era ignorada e ridicularizada por todos na escola. Vivia solitária… até que um dia simplesmente se mudou do lugar com a sua família. Fim da história!

Neste ponto, Saunders se questiona: “Por que me arrependo disso? Por que 42 anos depois ainda penso no assunto?”.

Diferente das outras crianças, Saunders nunca disse nada ofensivo à menina. No entanto, carrega até hoje o remorso de nunca ter feito nada a mais para mudar a situação, de nunca ter estendido a mão para uma menina que clamava por compreensão e ajuda. “O que me arrependo mais em minha vida são as falhas de gentileza, aquele momento em que um ser humano está lá, na minha frente, sofrendo e eu respondi sensatamente, reservadamente, de maneira morna…”.

Quantos de nós já não passamos por situações como esta? Seja no papel da garota ignorada ou daquele que ridiculariza e ignora. O fato é que estas situações (que acontecem tanto na escola, como também no trabalho) deixam marcas… na maioria das vezes, de dor e remorso… algo que pode ser evitado simplesmente quando somos compassivos e gentis com aqueles que estão à nossa volta. Muitas vezes, um simples sorriso já o suficiente para fazer a diferença.

Veja o vídeo:

 

 
Autor: Fernando Ferragino
Agradeço a Luana Quintas por ter enviado o vídeo da Ciência da Felicidade. Obrigado!

Compartilhe

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*