Obsessor – pare com a autossabotagem! (o inimigo está no espelho) | Espiritualidade nos Negócios

Obsessor – pare com a autossabotagem! (o inimigo está no espelho)

No espiritismo, doutrinada difundida por Allan Kardec e Chico Xavier, obsessor é o nome que se dá aos espíritos que acompanham algumas pessoas encarnadas no plano terrestre, com a intenção de fazer o mal e atrapalhar a evolução da pessoa obsediada. O objetivo do obsessor é, literalmente, enfernizar a vida do encarnado, seja sugando a energia, semeando dúvidas e discórdias mentais ou arquitetando uma série de confusões na vida da pessoa que ele escolheu aterrorizar. A pessoa obsediada, por sua vez, na maioria das vezes, nem desconfia que carrega ao seu lado alguém com a missão de sabotar cada passo da sua vida. E só descobre o fato quando procura algum tipo de ajuda espiritual para os problemas intermináveis que se sucedem em sua vida.

A essa altura, você deve estar se perguntando: mas por que esses espíritos obsessores agem assim? Por vingança, na maioria das vezes. Cada caso é uma caso, mas em geral, os espíritos obsessores perseguem suas “vítimas” encarnadas para se vingar de fatos que aconteceram no passado, ou outras vidas – devido à lei do Karma, de causa e efeito. Alguns obsessores, por outro lado, são atraídos por algumas pessoas em razão da baixa sintonia, ou padrão energético da pessoa encarnada… Ficou difícil? Explico melhor… sabe aquelas pessoas pessimistas com atitude derrotista que se fazem de vítimas e só reclamam da vida? Pois bem, o nível de vibração emitido por essas pessoas encontra ressonância com o mesmo nível energético de alguns espíritos obsessores. Quando isso acontece… Tinder! Os pares são atraídos e não se desgrudam mais. O obsessor age como um vampiro energético. E quanto mais a pessoa encarnada se afunda em suas neuroses e problemas, mais alimenta e reforça o elo de ligação com o obsessor.

A questão é que muita gente (em especial espíritas e pessoas com alguma compreensão da espiritualidade) costumam interpretar esse cenário de maneira torta, pela parte que lhes convêm. Ou seja, toda vez que alguma coisa dá errado, ou quando a pessoa vivencia uma fase turbulenta, a primeira coisa que ela faz é colocar a culpa no obsessor. Afinal, é mais fácil e confortável colocar a culpa no outro do que reconhecer o erro em si mesmo. Ao tomar essa atitude, a pessoa continua usando o chapeu inseparável de “vítima” e alimenta um ciclo interminável que, invariavelmente, termina no fim do poço.

O vídeo abaixo, produzido pelos Amigos da Luz, trata desse tema de maneira bem-humorada. Bem ao estilo Porta dos Fundos, a história acompanha de maneira hirônica a visita de um obsessor indignado, que resolve tirar satisfação com seu obsediado simplesmente porque não consegue mais cumprir seu papel. O obsediado é tão chato, mimimi e reclamão que já faz todo o trabalho sozinho.

Lembre-se: você é responsável por suas atitudes e pelas energias que atrai, assim como pelo mundo que você constrói a sua volta. Como o obessor diz no vídeo, “cada palavra de ódio, de rancor, de autopiedade que sai da sua boca é uma pedra que você mesmo bota no seu caminho”. Manter uma atitude positiva é fundamental para rompermos velhos padrões e vícios, abrindo espaço para que a positividade seja atraída em nossa direção. As flores no seu caminho precisam de rega constante. O plantio e a rega dependem de você!

Autor: Fernando Ferragino

Compartilhe

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*