O futuro começa agora: Hora do Planeta 2016 | Espiritualidade nos Negócios

O futuro começa agora: Hora do Planeta 2016

A WWF convida todos a demonstrar sua preocupação com o aquecimento global e com as mudanças climáticas, apagando as luzes no dia 19 de março, às 20h30, durante uma hora. Para a campanha deste ano da “Hora do Planeta” (Earth Hour), a ONG ambiental lançou o vídeo “O futuro começa agora”.

O vídeo da campanha tem como personagem uma senhora idosa que, em 2090, faz uma retrospectiva sobre as conquistas ambientais do planeta e nos convida a imaginar um mundo livre de emissões de carbono, sem a atual ameaça das mudanças climáticas.

A personagem do vídeo relembra no futuro que graças às medidas tomadas em 2016, conseguimos evitar que a temperatura global aumentasse 1,5°C em 2090, o mundo se tornou carbono neutro em 2060, a última mina de carvão encerrou suas atividades em 2040, e os oceanos retornaram à vida em 2030.

“Fizemos história, quando emprestamos nossas vozes para o Planeta Terra e para transformar o curso das mudanças climáticas”, diz a versão mais jovem da personagem no vídeo.

O aquecimento global já está acontecendo
A campanha deste ano chega em um momento oportuno. Um estudo recente divulgado pela revista The Lancet afirma que o aquecimento global pode provocar 500 mil mortes adicionais no mundo até 2050, devido às alterações na alimentação e no peso das populações, impulsionadas pela queda da produção agrícola. Segundo os pesquisadores, caso não sejam tomadas medidas para reduzir as emissões de gases de efeito estufa agora, as alterações climáticas podem reduzir em “cerca de um terço” a quantidade de comida disponível em 2050. Por outro lado, em um cenário sem alterações climáticas, o aumento do volume de alimentos e do consumo poderia evitar 1,9 milhão de mortes.

O tema “aquecimento global” ganhou força novamente também devido ao discurso do ator Leonardo DiCaprio ao receber o Oscar de melhor ator pelo filme “O Regresso”. Simpatizante às causas ambientais – ele já havia feito um discurso de impacto sobre o tema na ONU em 2015 –, DiCaprio aproveitou a imensa audiência do evento para chamar a atenção de líderes mundiais e da sociedade para um problema que é real e cujos efeitos já estamos sentindo em escala planetária.

“O Regresso fala sobre a relação do homem com a natureza, um mundo que teve em 2015 o ano mais quente já registrado. Nossa produção teve que se mudar para a parte mais ao sul do planeta só para achar neve. A mudança climática é real. Está acontecendo agora“, alertou o ator. “É a ameaça mais urgente à nossa espécie, e precisamos trabalhar coletivamente e parar de procrastinar. Precisamos apoiar os líderes do mundo todo que não falam pelos grandes poluidores e grandes corporações, mas que falam por toda a humanidade, pelos povos indígenas do mundo, pelas pessoas desamparadas que serão as mais afetadas por isso, pelos nossos netos, e por essas pessoas que tiveram suas vozes afogadas pela ganância política”, disse DiCaprio. Confira a cena:

Sobre a Hora do Planeta
A campanha “Hora do Planeta” surgiu há 10 anos em Sidney, na Austrália, por meio de uma iniciativa do WWF local. A ideia era chamar a atenção dos problemas relacionados às mudanças climáticas apagando as luzes de alguns dos principais ícones do país durante sessenta minutos. De lá para cá, a campanha cresceu e se tornou mundial. Em 2015, mais de 7 mil cidades em todo o planeta, em 170 países, aderiram à iniciativa. No Brasil, a edição 2015 da Hora do Planeta contabilizou 185 cidades, incluindo todas as capitais e o Distrito Federal. Hoje, monumentos internacionalmente famosos – como a Ópera de Sydney, a Torre Eiffel (Paris), o Big Ben (Londres), as Pirâmides de Giza (Egito), o Empire State Building (Nova York), a Table Mountain (Cidade do Cabo), e o Cristo Redentor (Rio de Janeiro) – se tornaram também símbolos de resistência contra os problemas relacionados ao meio ambiente, quando o mundo todo os vê completamente às escuras por 60 minutos, todos os anos.

Para saber mais, acesse:
www.wwf.org.br
www.earthtour.org

Suas ações hoje podem mudar o nosso mundo amanhã!
Autor: Fernando Ferragino

Compartilhe

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*